Síria: Trégua no campo de refugiados de Yarmouk permite que a UNRWA retome suas atividades humanitárias

27 de junho de 2014
Foto: UNRWA

Foto: UNRWA

Um cessar-fogo foi relatado no entorno do campo de refugiados de Yarmouk na Síria. A Agência das Nações Unidas de Assistência aos Refugiados da Palestina (UNRWA), que administra a ajuda a esses refugiados no Oriente Médio, disse que está pronta para retomar e expandir suas atividades de assistência humanitária, assim que obtiver acesso ao campo de Yarmouk, localizado na capital do país, Damasco.

Há mais de duas semanas que a UNRWA não consegue distribuir novas levas de assistência para os cerca de 18 mil civis presos “em condições desesperadoras” no campo de refugiados de Yarmouk.

O porta-voz da UNRWA, Chris Gunness, confirmou na segunda-feira (23) que a Agência recebeu “informações confiáveis” sobre um acordo assinado entre as autoridades sírias e grupos de oposição armada dentro de Yarmouk.

“Gostaríamos de saudar qualquer acordo durável que possibilite a interrupção das hostilidades e permita o acesso completo de assistência humanitária e o fim do sofrimento dos civis no campo Yarmouk e em todo território sírio”, disse Chris Gunness.

O porta-voz da UNRWA ressaltou que a Agência deseja retomar imediatamente suas atividades humanitárias e a expansão desse serviço dentro de Yarmouk. Com isso será possível oferecer uma gama completa de suprimentos humanitários, serviços e programas para os civis.

“A UNRWA está pronta para implementar uma resposta humanitária rápida para que as necessidades imediatas e de longo prazo da população civil de Yarmouk possam ser atendidas”, afirmou Gunness.

Antes do conflito armado na Síria, que começou em março de 2011, o campo de refugiados de Yarmouk era o lar de mais de 160 mil refugiados da Palestina. Desde dezembro de 2012, o conflito acarretou a fuga de pelo menos 140 mil refugiados de suas casas em Yarmouk.