Número de deslocados em Gaza ultrapassa 160 mil, diz agência da ONU

25 de julho de 2014

Porta-voz da UNRWA rebateu boatos de que ele teria confirmado que foguetes do Hamas estavam sendo disparados perto da escola atacada esta semana. “Eu não confirmei”, declarou. Equipe da ONU tentou visitar escola para investigar incidente, mas teve de voltar por conta de um tiroteio.

Mãe e filha em abrigo da UNRWA em Gaza. Foto: UNRWA

Mãe e filha em abrigo da UNRWA em Gaza. Foto: UNRWA

“Está sendo noticiado de que eu confirmei que havia foguetes do Hamas sendo disparados perto da escola em Beit Hanoun ontem [quinta 24]. Eu não confirmei”, disse nesta sexta-feira (25), por meio de seu Twitter, o porta-voz da Agência das Nações Unidas de Assistência aos Refugiados da Palestina (UNRWA), Chris Gunness.

Ele informou que uma equipe da UNRWA, incluindo um perito internacional em armas, tentou visitar a escola em Beit Hanoun, onde morreram pelo menos 16 pessoas na quinta-feira (24).

O objetivo da visita ao local era realizar um levantamento sobre o local dos ataques. O porta-voz da UNRWA informou que o exército de Israel havia sido notificado com antecedência sobre a composição da equipe, o momento da visita e seu objetivo. “A missão teve de ser interrompida e a equipe foi forçada a deixar a área após um tiroteio próximo à escola”, disse Gunness.

“A UNRWA lamenta não ser capaz de completar até mesmo essa avaliação inicial. Vamos tentar visitar o local quando a situação permitir”, acrescentou. “Voltamos a ressaltar o nosso apelo a uma investigação imediata e abrangente.”

Ele informou ainda sobre o que classificou como “tsunami” de deslocamento humano que continua a “engolir Gaza”. Segundo o porta-voz da UNRWA, até 18h30 de Gaza nesta sexta-feira (25), 160.487 moradores de Gaza se abrigaram em 83 abrigos da ONU, principalmente escolas.

“Depois de Beit Hanoun, ninguém está presumivelmente seguro”, declarou Gunness.

TV israelense se retrata sobre falsas acusações contra agência da ONU em Gaza

Foto: UNRWA

Foto: UNRWA

A rede de notícias com maior audiência da TV israelense, o “Channel 2 News”, se retratou sobre falsas alegações a respeito de uma ambulância da Agência das Nações Unidas de Assistência aos Refugiados da Palestina (UNRWA) que teria sido utilizada para transportar militantes em Gaza, na noite de 19 de julho de 2014.

O falso relato feito pelo correspondente de assuntos militares do canal e foi retirado após a UNRWA ter apresentado evidências incontestáveis de que a alegação era falsa e infundada.

“Existem muitos relatos falsos sobre a UNRWA. Este é mais um exemplo lamentável no longo catálogo de jornalismo desleixado”, disse o porta-voz da UNRWA, Chris Gunness. “A constante repetição de acusações infundadas sobre a ONU permite que falsas mitologias criem raízes. Eu encorajo os membros do público a tratá-las com a suspeita de que elas merecem, e apelo a todos os jornalistas que verifiquem as informações com a ONU antes de danificar a credibilidade de suas organizações.”

Em outubro de 2012, o canal israelense de notícias Channel 2 News foi forçado a publicar uma retratação semelhante acerca de falsas alegações sobre a neutralidade da UNRWA.

“A UNRWA está trabalhando sob uma incrível pressão em Gaza, fornecendo assistência a dezenas de milhares de pessoas deslocadas pelos combates. Mesmo durante esta situação extraordinariamente difícil, nós fazemos o melhor para manter os mais altos padrões de neutralidade para os nossos funcionários e nossas instalações”, afirmou Gunness.

Acompanhe a crise em Gaza e saiba como doar em www.onu.org.br/especial/gaza