‘Um dos testes mais críticos da região’, diz chefe da ONU sobre retorno da violência em Gaza

10 de julho de 2014
Morador de Gaza avalia os estragos provocados pelos ataques do último ataque israelense, em 2012. Foto: Télam (via Agência Brasil)

Morador de Gaza avalia os estragos provocados pelos ataques do último ataque israelense, em 2012. Foto: Télam (via Agência Brasil)

Nesta quarta-feira (9), o secretário-geral das Nações Unidas, Ban Ki-moon, alertou que a violência na região de Gaza pode rapidamente sair do controle e pediu enfaticamente à comunidade internacional que trabalhe com os líderes israelenses e palestinos para evitar uma crise em uma região que, em suas palavras, “não pode suportar outra guerra”.

“Estou alarmado com a nova onda de violência que tomou conta de Gaza, sul de Israel e Cisjordânia, incluindo Jerusalém”, disse Ban durante coletiva de imprensa na sede da ONU, em Nova York. “Esse é um dos testes mais críticos enfrentados pela região em seus anos recentes.”

A violência entre israelenses e palestinos retornou após uma sequência de sequestros e assassinatos: em junho, três jovens israelenses foram sequestrados e mortos na Cisjordânia e, na semana passada, o mesmo aconteceu com um adolescente palestino em Jerusalém Oriental.

Com o ataque a foguetes, nesta terça-feira (8), por militantes da Faixa de Gaza contra Israel e a subsequente intensificação dos bombardeios aéreos do país na região, o chefe da ONU disse que o risco de expansão da violência “é real”. Classificando a ofensiva dos militantes de Gaza como “inaceitável”, ele exigiu o fim imediato dos ataques.

Segundo relatos da imprensa, além dos três jovens israelenses, pelo menos 50 palestinos já foram mortos após o início dos bombardeios israelenses.