ONU condena assassinato de 13º membro da equipe da UNRWA na Síria

28 de agosto de 2014
Trabalhadores da UNRWA na Síria Foto: UNRWA

Trabalhadores da UNRWA na Síria Foto: UNRWA

A Agência das Nações Unidas de Assistência aos Refugiados da Palestina (UNRWA) condenou veementemente os responsáveis ​​pela morte do 13º membro da equipe na Síria na quinta-feira, 21 de agosto. Muhammad Mizel, professor da escola de Tiberíades em Dera’a, morreu quando o veículo em que viajava foi atingido por tiros enquanto partia do campo de refugiados neste município localizado no sudoeste da Síria.

Mizel e seu filho estavam fazendo a mudança da sua família para um local mais seguro em Dera’a, quando o incidente ocorreu. Vários tiros atingiram a caminhonete que transportava os bens da família. Mizel morreu no local, enquanto seu filho sofreu ferimentos no peito e foi submetido a tratamento hospitalar. Trabalhador da UNRWA com distinção por mais de 33 anos, Mizel deixa sua esposa, quatro filhos e três filhas.

O incidente ocorre apenas seis semanas depois de munições explosivas terem causado a morte de 13 civis, incluindo nove refugiados da Palestina no campo de refugiados em Dera’a. A trágica morte de Mizel ilustra o impacto devastador que o conflito continua infligindo nos refugiados palestino e outros civis na Síria.

“A Organização reitera veemente sua exigência de que todas as partes do conflito na Síria cumpram suas obrigações de repeitar o direito internacional. A UNRWA também apela novamente a todas as partes para que busquem uma solução para o conflito na Síria através do diálogo e de negociações políticas”, disse o comunicado da organização. .

A UNRWA lamenta este ataque a um membro da equipe das Nações Unidas e os graves danos físicos e psicológicos que tais incidentes continuam gerando entre os refugiados palestinos em toda a Síria. No começo de agosto, a agência anunciou que outros nove trabalhadores pereceram durante o conflito entre Gaza e Israel.