‘Uma mudança fundamental é necessária para o esforço de paz israelense-palestino’, diz ONU

16 de setembro de 2014
Segundo a UNRWA, cerca de 17 mil casas foram destruídas e danificadas, deixando mais de 100 mil pessoas desabrigadas. Foto: UNRWA/Shareef Sarhan

Segundo a UNRWA, cerca de 17 mil casas foram destruídas e danificadas, deixando mais de 100 mil pessoas desabrigadas. Foto: UNRWA/Shareef Sarhan

O escritório do coordenador especial da ONU para o processo de paz no Oriente Médio, Robert Serry, divulgou o mais recente relatório sobre a situação atual em Gaza, nesta segunda- feira (15), que será apresentado ao Conselho de Segurança da ONU na próxima quarta-feira (17), onde também discutirão os mecanismos para a reabilitação de abrigos e reconstrução de Gaza.

Segundo a publicação, a grande escalada de violência na região tem causado um “efeito devastador sobre a vida dos civis” e resultado numa “quantidade sem precedentes de destruição”.

Para Serry, o momento exige uma mudança urgente e fundamental na dinâmica do enclave, sendo este o único caminho que pode oferecer uma vida civil digna e um renovado esforço de paz israelense-palestino. O documento ressalta que embora eclipsada pelos eventos em Gaza, a situação na Cisjordânia também piorou, com aumento de violência, contínua expansão de assentamentos, expropriação de terra e aumento no número de confrontos entre palestinos, forças e colonos israelenses

“Nem o bloqueio de Israel, o contrabando de armas militares por militantes ou material para túneis, bem como a divisão continuada dos palestinos pode oferecer nada além de preparar o palco para outro conflito, até mesmo uma guerra mais catastrófica”, diz o relatório.

Contudo, o documento afirma que a reconstrução, recuperação, governança e segurança em Gaza deve ocorrer no contexto do retorno de uma autoridade palestina legítima, que contará com o apoio das Nações Unidas e seus parceiros.