UNRWA condena ataques a bomba a escola Al Makhzoumi em Homs

6 de outubro de 2014
Foto: Shareef Sarhan/UNRWA

Foto: Shareef Sarhan/UNRWA

A Agência das Nações Unidas de Assistência aos Refugiados da Palestina (UNRWA) está indignada com os ataques a bomba na escola Al Makhzoumi em Homs na última quarta-feira (01). O secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon, também condenou o ataque. O relatório inicial indicou que pelo menos 39 pessoas foram mortas no incidente, dos quais 30 eram crianças. Três crianças refugiadas da Palestina perderam a vida e outras duas ficaram feridas.

Lana Waleed Elewa, de 12 anos, e duas irmãs, Reem Bashar Bakr, 12, e Raghad Bashar Bakr, 6, crianças refugiadas da Palestina que vivem em Homs, foram mortas quando dois veículos carregados com explosivos improvisados ​​foram detonados perto da porta da escola no bairro de Ekremah em Homs. A primeira bomba explodiu quando as crianças estavam deixando a escola, com o segundo veículo explodindo quando parentes e socorristas correram para o local. Os indícios apontam que as explosões foram planejadas com intenção de matar, mutilar e intensificar o medo em crianças e outros civis na escola.

A UNRWA lamenta estes ataques às crianças da escola e denuncia os responsáveis​​. Ataques contra crianças estão entre as mais atrozes violações do direito internacional.

Os pensamentos e condolências de todos os funcionários da UNRWA estão com as famílias das vítimas. Este incidente ilustra o impacto devastador do conflito que continua a provocar medo nas crianças e outros civis na Síria, incluindo os refugiados da Palestina. Nos termos mais fortes possíveis, a UNRWA reitera sua exigência de que todas as partes no conflito na Síria cumpram com suas obrigações sob a lei internacional, de não atacar ou não realizar ataques em áreas civis. A UNRWA chama novamente a todas as partes para buscarem uma solução para o conflito na Síria através do diálogo e de negociações políticas.