UNRWA manifesta profunda preocupação com abastecimento de água em Yarmouk

7 de outubro de 2014
UNRWA

UNRWA

A Agência das Nações Unidas de Assistência aos Refugiados da Palestina (UNRWA) está profundamente preocupada com a grave escassez de água potável no campo de refugiados de Yarmouk. Desde a primeira semana de setembro, o fornecimento de água potável foi interrompido, aparentemente, como resultado de danos na tubulação numa área em disputa dentro de Yarmouk.

As condições de seca têm forçado 18 mil habitantes de Yarmouk a contar com água subterrânea não tratada para todas as atividades. Estas fontes de água não são suficiente e seguras para atender às necessidades mínimas de água e saneamento. Os civis de Yarmouk lidam com as ameaças de desidratação, falta de saneamento e doenças transmitidas pela água, bem como o agravamento da insegurança alimentar e outras condições humanitárias terríveis causadas ​​pelo conflito armado e o fechamento do campo de refugiados em meados de 2013.

A população de Yarmouk conviveu com um grande surto de febre tifoide em julho de 2014, que só foi contido através da rápida intervenção da UNRWA em cooperação com a Sociedade do Crescente Vermelho Palestino. O fornecimento de água canalizada limpa para Yarmouk deve ser restaurado urgentemente e mantido para evitar novos surtos de doenças transmissíveis. Esses surtos teriam graves consequências para os civis em Yarmouk e ameaçariam os arredores de Damasco.

A UNRWA está em contato com as autoridades sírias para restabelecer o fornecimento de água potável em Yarmouk, e também tem o apoio técnico do UNICEF, OMS, o Crescente Vermelho Árabe Sírio e outros parceiros humanitários.

A agência mantém suas exigências para que as partes envolvidas no conflito respeitem a leis internacionais, liberando o acesso humanitário completo, seguro e contínuo para Yarmouk e outras comunidades de refugiados da Palestina afetadas pelos conflitos. Os direitos humanos dos refugiados da Palestina, incluindo aqueles relacionados ao acesso à água potável e ao saneamento, devem ser garantidos e respeitados. Estas exigências devem ser atendidas para pôr fim ao sofrimento dos civis em Yarmouk e no resto da Síria.