ONU alerta para situação cada vez mais grave de refugiados palestinos da Síria

26 de novembro de 2014
Mulheres palestinas em um centro de distribuição UNRWA no campo de refugiados Jaramana, em Damasco, Síria. Foto: UNRWA/Carole Alfarah

Mulheres palestinas em um centro de distribuição UNRWA no campo de refugiados Jaramana, em Damasco, Síria. Foto: UNRWA/Carole Alfarah

A situação dos refugiados da Palestina que se encontram na Síria está cada vez mais grave. Fronteiras fechadas e uma série de deportações dos países vizinhos intensificam esse quadro, afirmou o porta-voz da Agência das Nações Unidas de Assistência aos Refugiados da Palestina (UNRWA), Chris Gunness, nesta segunda-feira (24).

“Reconhecemos os enormes esforços dos países vizinhos em fornecer refúgio para os refugiados da Palestina e os desafios de segurança que enfrentam, mas cada vez mais estamos recebendo relatos de refugiados da Síria encontrando dificuldades para buscar refúgio em países da região, incluindo Jordânia, Líbano, Turquia e Egito, assim como na Europa”, disse Gunness.

Essas circunstâncias forçam a população palestina, que já se encontra em situação vulnerável, a tomar riscos que ameaçam a vida, como a tentativa de cruzar o Mediterrâneo em pequenas embarcações, o que muitas vezes leva a consequências trágicas, explicou o porta-voz.

Gunness adicionou que muitos refugiados da Palestina buscam fugir da Síria para a Turquia. No entanto, como a UNRWA não possui mandato para operar neste país, quem assume esta tarefa é o Alto Comissariado das Nações Unidas para Refugiados (ACNUR).
No próximo 29 de novembro, a ONU marcará o Dia Internacional de Solidariedade com o Povo Palestino e uma série de eventos especiais serão realizados ao longo da semana para recordar a situação desses refugiados.