Estudantes refugiados da Palestina ganham voz em sala de aula

16 de dezembro de 2014
Estudantes da UNRWA em Damasco falam com alunos no Reino Unido utilizando o skype. Foto: arquivos UNRWA

Estudantes da UNRWA em Damasco falam com alunos no Reino Unido utilizando o skype. Foto: arquivos UNRWA

O projeto Minha Voz Minha Escola permitiu que estudantes refugiados da Palestina que frequentam as escolas da Agência da ONU de Assistência aos Refugiados da Palestina (UNRWA) em Damasco (Síria), Beirute (Líbano) e Irbid (Jordânia) entrassem em contato com alunos no Reino Unido. Na medida em que os alunos conhecem uns aos outros, rapidamente desenvolvem amizades que transcendem conflitos e diferenças culturais.

Essa é a opinião de Craig, um estudante da Eastbury Comprehensive School, em Essex que disse: “fiquei surpreso como interagimos tão rápido sem nunca termos nos visto antes”.
Trabalhar a partir de uma aula conjunta no Skype possibilita aos alunos explorar temas de educação e ideias sobre como melhorar o ambiente escolar. “O intercâmbio nos ajuda a criar novas ideias para mudar a sociedade. Eu acho que aumentou o senso de cooperação e nos ajudou a perceber o quão importante somos um para o outro”, disse Maha, estudante da escola da UNRWA em Damasco.

Maha e sua turma adoraram a oportunidade de interagir com os estudantes britânicos durante as sessões do Skype. Discutiram temas da adolescência como lição de casa, música pop, esportes e descreveram como sua educação foi afetada pelo conflito na Síria.
Para muitos, foi a primeira vez que utilizaram a tecnologia de vídeo ao vivo como uma ferramenta de aprendizagem na sala de aula. A experiência abriu uma janela para o resto do mundo, ajudando os alunos a desenvolverem novas ideias a partir dos debates. O projeto Minha Voz Minha Escola foi realizado pelo Digital Explorer e financiado pelo Reino Unido, a União Europeia e o Fundo da ONU para a Infância (UNICEF).

“Minha Voz Minha Escola proporciona aos nossos alunos a oportunidade de pensar sobre a importância da educação para melhor apoiar suas necessidades como jovens palestinos no século 21 dentro do contexto desafiador que muitas vezes vivem. O projeto reflete os princípios da reforma da educação na UNRWA, que prioriza o desenvolvimento do pensamento crítico e as habilidades-chave de comunicação”, disse a diretora da UNRWA e da Organização da ONU para a Educação, a Ciência a Cultura (UNESCO) de educação, Caroline Pontefract

Ao participar do programa Minha voz Minha Escola, os estudantes afirmaram: “Este projeto tem consolidado a nossa confiança. Sentimos que estamos mais velhos e podemos discutir grandes questões”