UNRWA faz apelo emergencial de 414 milhões para apoiar os refugiados da Palestina no território palestino ocupado

9 de dezembro de 2014
Menino caminha por escombros em Gaza. Foto: arquivos UNRWA

Menino caminha por escombros em Gaza. Foto: arquivos UNRWA

A Agência das Nações Unidas de Assistência aos Refugiados da Palestina (UNRWA) lançou nesta terça-feira (09) um apelo emergencial de 414 milhões dólares para apoiar os refugiados da Palestina mais desfavorecidos no Oriente Médio.

Durante o pedido realizado em Genebra, a vice-comissária-geral da UNRWA, Margot Ellis, expressou um sentimento de decepção ao chegar o fim de 2014. Segundo ela, esse é “mais um ano sem uma solução duradoura para a situação dos refugiados da Palestina. Este ano o conflito no território palestino ocupado, mais uma vez causou a perda irreparável de vidas”.

Ellis adicionou que a realização desse apelo emergencial representa um símbolo do fracasso coletivo da comunidade internacional nos esforços para acabar com o sofrimento sistemático dos refugiados da Palestina.

“Na ausência de uma ação política para acabar com a atual ocupação, conflitos e injustiças, a ajuda emergencial fornecida pela UNRWA e outras agências da ONU representa uma tábua de salvação para os refugiados da Palestina no território palestino ocupado. Muitos desses refugiados não podem sobreviver sem essa assistência,” afirmou a representante da UNRWA.

O conflito deste ano devastou a economia de Gaza que já estava enfraquecida por anos de bloqueio. Com ainda menos oportunidades de subsistência, a insegurança alimentar agravou-se e passou a representar a maior parte do programa de emergência da UNRWA na região. Portanto, o programa da Agência em Gaza visa proporcionar alimentação básica para mais de 800 mil refugiados. Trabalhando no fornecimento de 245 mil refeições diárias para alunos nas escolas da Agência. A UNRWA também prestará assistência emergencial em dinheiro. Além disso, vai fornecer programas de saúde e educação, bem como conselheiros para ajudar crianças e adultos que sofrem com o recente trauma do conflito.

Na Cisjordânia, muitos refugiados da Palestina estão expostos ao risco de demolições de casas, deslocamento forçado e restrições de acesso. Por isso, as intervenções da UNRWA continuarão a colocar ênfase na proteção. Além disso, seis postos de saúde móveis vão apoiar mais de 50 comunidades vulneráveis. A UNRWA irá fornecer assistência alimentar e oportunidades de trabalho temporário para 35 mil famílias de refugiados em situação de insegurança alimentar.

Os déficits de financiamento para financiar esses serviços essenciais aos refugiados da Palestina no território palestino ocupado tornaram-se uma realidade, e a demanda dessa ajuda está crescendo cada vez mais. Ellis agradeceu aos doadores que apoiaram o apelo e lembrou a responsabilidade coletiva da comunidade internacional para garantir que as necessidades humanitárias e de desenvolvimento de longo prazo desta comunidade sejam alcançadas.

Clique aqui para ler a declaração completa da vice-comissária-geral.