UNRWA lança apelo urgente pela segurança e proteção de civis em Yarmouk

6 de abril de 2015
Yarmouk - foto 1
Foto: UNRWA/Taghrid Mohamed

A situação nunca foi tão desesperadora no campo de refugiados palestinos de Yarmouk, em Damasco, na Síria. À medida que a luta se intensifica, a Agência das Nações Unidas de Assistência aos Refugiados da Palestina (UNRWA) clama fortemente a todos os grupos armados para que cessem as hostilidades que colocam os civis em graves situações de perigo e que se retirem das áreas povoadas por eles.

Exigimos a máxima moderação de todas as partes, que cumpram suas obrigações sob o direito internacional para a proteção de civis. Além disso, exigimos acesso da ajuda humanitária e a criação de condições de segurança onde possamos entregar ajuda humanitária para salvar vidas e que permitam a evacuação dos civis.

A UNRWA chama os países envolvidos a colocarem em prática sua autoridade e influência para acabar com o conflito em Yarmouk para salvar vidas e aliviar o sofrimento humano.

Desde 1º de abril, esta área residencial de Damasco, onde mais de 18 mil pessoas ficaram presas por mais de dois anos, foi tomada pela intensa violência. A vida dos civis de Yarmouk nunca foi tão gravemente ameaçada. Homens, mulheres e crianças – sírios e palestinos – estão com medo, encolhidos em suas casas maltratadas, desesperados por segurança, comida e água, preocupados com o que ainda está por vir, enquanto as hostilidades continuam. É praticamente impossível para os civis deixarem Yarmouk, já que qualquer passo a céu aberto apresenta riscos.

Há mais de um ano os moradores sitiados de Yarmouk, incluindo 3.500 crianças, ficaram dependentes de distribuições irregulares de alimentos e outras formas de assistência da UNRWA. O nível da nossa ajuda tem sido bem abaixo do mínimo exigido. A água potável agora está indisponível em Yarmouk e as poucas unidades de saúde que existiam foram invadidas por conflitos. A situação é terrível e deve piorar ainda mais. A UNRWA está pronta para retomar a sua assistência à população civil a qualquer momento, mas é necessário que cessem as hostilidades.

A UNRWA pede à comunidade internacional, inclusive aos organismos da ONU, para se envolverem nesta situação crítica o mais rápido possível e assegurar que todos os civis estejam protegidos conforme a Carta da ONU e o direito internacional humanitário. Não fazer isto pode trazer sérias e deploráveis consequências para os civis de Yarmouk.