Princípios humanitários enriquecem aprendizado nas escolas da UNRWA

29 de julho de 2015
“As crianças tem o direito de brincar, sonhar e aprender em um local seguro e neutro”, defende a professora Hanan. Foto:UNRWA/Shareef Sarhan

Graças a um treinamento sobre os princípios humanitários das Nações Unidas de humanidade, neutralidade, imparcialidade, independência operacional e proteção, professores da UNRWA em Gaza estão mais capacitados para garantir a segurança de suas classes, empoderando o ambiente escolar para os seus alunos.

 “Eu agora tenho uma noção mais clara do que significam os princípios humanitários e estou pensando em como eu posso passar estes valores para os meus alunos durante as aulas”, disse a professora da UNRWA, Hanan Ashqar. Eu aprendi a ser imparcial e a lidar melhor com crianças que têm necessidades especiais, por exemplo. Agora sei como capacitar as crianças com deficiência, ajudando-as a ganhar o respeito dos colegas”

O treinamento de princípios humanitários é conduzido ao longo do ano pelo Programa de Apoio Operacional da UNRWA em Gaza, financiado pelos Estados Unidos. No primeiro semestre de 2015, 765 funcionários da UNRWA, incluindo 514 gerentes de unidades  e 251 novos professores e funcionários da área de saúde, receberam este treinamento durante 27 sessões.

Hanan conta que as aulas a ajudaram a ganhar mais autoconfiança sobre o conteúdo que ela está transmitindo para os alunos. Os princípios humanitários servem como diretrizes para o trabalho desenvolvido por ela na sala de aula, e são umas das razões da identificação e comprometimento dela com a UNRWA.

Hanan e o diretor da escola, Basil Madi, ressaltam a importância da UNRWA, como uma agência das Nações Unidas, em permanecer politicamente neutra e proteger os direitos de todas as pessoas, como a ONU faz no resto do mundo. “Desde o treinamento, eu venho me esforçando mais para aplicar os princípios de neutralidade e imparcialidade”, explica Basil.

Basil e Hanan não transmitem mensagens de princípios humanitários apenas aos seus alunos, mas também às suas famílias e à comunidade em geral. Durante as reuniões mensais com os pais, eles muitas vezes enfrentam “pressão devido à difícil situação em Gaza”, explica Basil. “Eu sempre digo a eles que a melhor maneira de apoiar a comunidade é ter crianças educadas”.

 Hanan complementa que  “as crianças tem o direito de brincar, sonhar e aprender em um local seguro e neutro onde sejam ensinadas por professores e tenham um currículo escolar que as mostre a importância da neutralidade, da imparcialidade e da proteção”.

Todos os dias, nós educamos 240 mil crianças em escolas da UNRWA em Gaza.  Nossos programas são financiados quase que inteiramente por contribuições voluntárias de indivíduos e Estados Membros da ONU. As crianças refugiadas da Palestina dependem de nós e nós dependemos de você!
Seu apoio é fundamental para continuarmos esse trabalho! Participe agora de nossa campanha para apoiar os programas de educação da UNRWA em Gaza: acesse www.kickante.com.br/unrwa e ajude as crianças a construírem um futuro digno!