Eduque Uma Criança: Preenchendo as lacunas na educação das crianças refugiadas da Palestina na Síria

16 de setembro de 2015
Batoul

No seu quinto ano, o conflito na Síria devastou as vidas de milhões de sírios. Igualmente afetadas são as vidas dos 560 mil refugiados da Palestina que têm na Síria um lar.

Os 67 mil estudantes refugiados da Palestina matriculados em escolas da UNRWA (Agência das Nações Unidas de Assistência aos Refugiados da Palestina) antes da crise não foram poupados. A UNRWA foi estabelecida em 1949 para realizar programas diretos de assistência aos refugiados da Palestina deslocados após o conflito árabe-israelense de 1948.

A UNRWA estima que mais de 80 mil refugiados da Palestina fugiram da Síria para o Líbano, Jordânia e Gaza. Cada vez mais as crianças afetadas pela crise síria estão saindo das escolas devido ao deslocamento e à pobreza.

Batoul e os membros de sua família que sobreviveram já se mudaram sete vezes. Hoje, eles vivem no Líbano, para onde fugiram há dois anos. “Eu continuava indo a aula todos os dias até que um morteiro caiu perto da escola. Meu pai e meu irmão mais velho morreram. Eu perdi eles, meus amigos e as lindas memórias da minha escola no campo de Sbeineh,” conta Batoul.

Recuperar o tempo perdido pode ser uma tarefa difícil para os estudantes. “Mudar de um abrigo para o outro impediu que eu me enturmasse,” explica Batoul. Para lidar com as necessidades das crianças afetadas pelos conflitos, a UNRWA e o projeto Eduque Uma Criança (EUC) começaram uma parceria para dar apoio a mais de 50 mil crianças refugiadas, matriculando-as em programas de educação básica. Com uma contribuição de 4,9 milhões de dólares da EUC, a Agência alcançou estudantes que estavam fora da escola, como Batoul, e os ajudou a retornarem às aulas.

Desde 2013, a UNRWA estabeleceu um total de 15 espaços de aprendizado seguro para permitir que as crianças retornem à escola na Síria, Líbano e Jordânia, contratando e treinando 77 conselheiros para fornecerem apoio psicossocial e realizarem atividades recreativas. O programa desenvolveu material autodidático para estudantes fora da escola e continua a fornecer aulas de apoio tanto online quanto através da TV UNRWA. A contribuição do projeto Eduque Uma Criança também foi usada para comprar material didático e facilitar estas intervenções.

O apoio da EUC no Líbano fez com que nove mil estudantes retornassem às aulas em 60 escolas da UNRWA espalhadas em todo o país. Batoul está entre estes estudantes. “Eu estou matriculada no campo de Ein El Hilweh e me beneficio das aulas particulares e do apoio acadêmico,” conta. “Eu consegui recuperar as aulas perdidas e sou agora a primeira da minha turma. Eu faço parte do corpo estudantil, sou representante de sala e participo de todas as atividades recreativas.”

Graças à contribuição da EUC e sua parceria com a UNRWA, estudantes como Batoul podem prosperar de novo. A diretora da escola de Batoul, Nisreen Ayoub, explica: “Este ano acadêmico foi muito gratificante; os estudantes refugiados da Síria estão se adaptando. Eles estão mais calmos, mais felizes e melhor integrados. Nós estamos orgulhosos deles e estamos felizes de tê-los como novos alunos”.

Isto é não só um motivo de orgulho para a professora,como também para a mãe de Batoul: “Apesar de todas as dificuldades que nós passamos, ela continua aplicada e nós temos grandes expectativas para ela. Se Batoul tiver uma boa educação, ela vai tomar conta de si mesma… ver o mundo e expandir seus horizontes. Eu acredito que o único jeito de fazer seus sonhos se tornarem realidade é através da educação.”