Projeto de realojamento em Rafah oferece abrigo para refugiados deslocados

7 de outubro de 2015

O refugiado da Palestina Kana’an Abu Libda, 62 anos, pai de sete filhos, morava no campo de refugiados “Brazil”*, na cidade de Rafah, ao sul de Gaza. Em 2003, Abu Libda teve sua casa demolida pelas forças israelenses, assim como muitas outras no campo, e sua vida virou de cabeça para baixo.

Após perder sua casa, a família recebeu um subsídio de aluguel pela UNRWA para ser capaz de alugar um abrigo temporário. Entretanto, “mudar constantemente de uma casa para outra era muito difícil, nós nunca sentíamos que uma casa era realmente nossa. Nós não podíamos mudar ou consertar as coisas, muito menos dar um toque que a deixasse com a nossa cara”, explica Kana’an.

Depois de mais de dez anos vivendo em acomodações temporárias, em junho de 2014 a família Abu Libda recebeu uma casa na 2ª fase do Projeto de realojamento em Rafah. “Nós ficamos aliviados quando recebemos o abrigo, depois de muito tempo nós finalmente fomos capazes de nos estabelecer novamente em uma casa nossa”, conta Kana’an satisfeito.

A casa da família Abu Libda tem três andares, cada um com dois quartos. O espaço é bem apertado, já que dois filhos são casados e moram com suas esposas e filhos na mesma casa. Entretanto, apesar das dificuldades, Kana’na é muito grato pela sua nova casa: “A casa é muito limpa, tem um gerador de água automático e os fios de eletricidade são muito bons. Nós também temos uma geladeira, uma máquina de lavar e um fogão”.

“Nós somos gratos ao Reino da Arábia Saudita por financiar este projeto que nos ajudou a manter a nossa dignidade durante tempos difíceis, e nós também reconhecemos o importante papel da UNRWA em supervisionar, implementar e acompanhar estes projetos”.

Após mais de dez anos procurando, esperando e se mudando de um lugar para o outro, a família Abu Libda finalmente encontrou um lar de verdade de novo.

* Em 1917, o Exército de Israel destruiu aproximadamente 500 casas nos campos de refugiados de Rafah para criar rondas de patrulha do exército. Estas demolições deslocaram cerca de 4 mil pessoas. Israel, então, estabeleceu os campos de realojamento “ Brazil” e “ Canada”, que receberam estes nomes pois as tropas de paz da ONU destes países mantiveram quartéis nestes lugares.