“Eu me sinto como se tivesse nascido de novo. Eu comecei uma vida nova.”

21 de dezembro de 2015

Nour Adeen Mousa, de 47 anos, foi ferido durante a invasão de Israel ao Líbano em 1982. O ferimento o deixou com uma paralisia que o fez ter dificuldades para andar, sentar ou se movimentar. Para Nour, até mesmo sair da cama era difícil. Em 1983, ele foi submetido a um tratamento e reabilitação na Alemanha e posteriormente foi capaz de sentar e se movimentar em uma cadeira de rodas.

Em 2004, Nour começou a trabalhar no campo de Yarmouk como um vendedor de rua. Esta atividade era a única fonte de renda para sua família, incluindo sua mãe e irmã, que foram registradas no programa de casos especialmente difíceis da UNRWA. Três anos depois, a condição de Nour se deteriorou devido à uma infecção grave na coxa direita e os médicos recomendaram a amputação do membro. Nour se recusou e voltou a perder a sua capacidade de locomoção.

De 2007 a 2009, através da intervenção de uma assistente social da UNRWA, Nour recebeu apoio social e psicológico, bem como cuidados de saúde e fisioterapia, no centro do desenvolvimento social no campo de Yarmouk. Isso levou a uma melhoria da sua situação social, psicológica e de saúde, e ele foi capaz de sentar novamente, o que nunca pensou que seria possível. Usando uma cadeira de rodas nova fornecida pelo programa de deficiência da UNRWA, que substituiu a sua antiga, quebrada e inutilizada, Nour foi mais uma vez capaz de se mover de forma independente e voltar ao trabalho.

Em dezembro de 2012, Nour e sua família foram forçados a fugir de Yarmouk e buscar abrigo em um dos centros coletivos da Agência no campo de Jaramana. Enquanto estava lá, Nour foi lentamente capaz de recomeçar a sua vida e abriu um quiosque onde vende mantimentos. No âmbito pessoal, a vida de Nour também floresceu quando ele conheceu a mulher de seus sonhos em Jaramana e acabou se casando com ela.

“Eu nunca acreditei que eu poderia realizar meus sonhos; tudo que eu queria era ser capaz de sentar! Olhe para mim agora: eu posso me mexer, eu sou casado e estou trabalhando. Eu sinto que nasci de novo. Eu comecei uma nova vida”, conta Nour, acrescentando que é imensamente grato a Deus e a todos que contribuíram para melhorar a sua situação, nomeadamente através do programa de deficiência da UNRWA.

Nour atualmente vive em uma casa alugada em Jaramana e enfrenta um novo desafio: ele precisa mover seu quiosque para um local diferente já que o centro precisa do espaço para acomodar outras pessoas deslocadas internamente. Nour está determinado a salvar sua subsistência graças ao apoio financeiro do programa deficiência e da comunidade local.