UNRWA promove Festival das Cores para crianças e suas famílias em Gaza

29 de abril de 2016
O evento promoveu atividades recreativas para atender às necessidades psicossociais das crianças.Foto: Tamer Hamam / UNRWA 2016

O escritório da Agência das Nações Unidas de Assistência aos Refugiados da Palestina (UNRWA) em Gaza organizou um Festival das Cores no dia 16 de abril no pátio do Centro de Treinamento Vocacional de Gaza.

O evento, que visava atender às necessidades psicossociais dos alunos de escolas da UNRWA através de atividades recreativas e criativa, contou com 50 alunos de seis escolas da Agência e seus pais e teve diversas atividades de desenho para as famílias. Os professores da UNRWA e os conselheiros do Programa de Saúde Mental Comunitário da Agência também estavam presentes.

Além de oferecer uma oportunidade de atividades recreativas supervisionadas para os estudantes em um lugar seguro, o Festival também tem como objetivo fortalecer a relação entre as crianças e seus pais, bem como entre as famílias, escola e comunidade local.

Na Faixa de Gaza, devido ao espaço limitado e à alta densidade populacional, à pobreza e à destruição sem precedentes causada pelo conflito em 2014, os parques infantis e outros lugares seguros para as crianças brincarem são raros.

As hostilidades de 2014 tiveram um impacto psicossocial devastador nas pessoas e na comunidade de Gaza, juntamente com o efeito já causado pelos anos de bloqueio e ciclos de conflito. O choque causado ao perder o lar e membros da familia e ter de voltar ao bairro para encontrá-lo destruído pode contribuir para destruir qualquer noção de esperança no futuro. Crianças que são frequentemente expostas à  violência tendem a confiar menos nos outros.

A UNRWA mantém uma rede de 250 psicólogos nas escolas da Agência, assim como 23 conselheiros e 5 assessores jurídicos nos centros de saúde. O Programa de Saúde Mental Comunitário tem um foco específico em estudantes e conselheiros psicossociais, onde as crianças refugiadas recebem aconselhamento individual e coletivo, inclusive aquelas que abandonaram a escola.