Campanha para ajudar os refugiados da Palestina

O Comissário-Geral da UNRWA recebe o cheque simbólico do Presidente da Câmara de Comércio, Sr. Marcelo Sallum

As doações feitas pelos brasileiros à Agência das Nações Unidas de Assistência aos Refugiados da Palestina (UNRWA) foram entregues pela Câmara de Comércio Árabe-Brasileira, responsável pela Campanha de arrecadação de fundos iniciada no dia 30 de setembro.

Foram arrecadados R$ 124 mil, que serão utilizados para equipar dois centros de saúde com sistemas digitais de atendimento a pacientes, além de proporcionar a aquisição de uma máquina de ultra-sonografia para exames pré-natal.

O comissário-geral da UNRWA, Filippo Grandi, ressaltou que vê isso como uma parceria importante para o auxílio aos refugiados da Palestina. A campanha começou no final de setembro, quando o conflito na Síria já apresentava grandes desafios: “Temos meio milhão de refugiados na Síria, 2 milhões na Palestina sob ocupação israelense, sem contar o meio milhão de crianças em escolas mantidas pela UNRWA”, disse Filippo Grandi. Ele destacou o valor simbólico da solidariedade que o Brasil está transmitindo com essa atitude.

Vice-presidente de Marketing da Câmara de Comércio-Árabe Brasileira, Dr. Riad Younes disse que a campanha foi interessante porque envolveu a emoção. “Quando trouxemos a ideia, conseguimos a aprovação imediata. Nosso objetivo foi abraçado pela comunidade brasileira e a comunidade árabe no Brasil. Achamos que ia ser difícil, mas foi muito bem aceito”.

O vice-diretor da Área de Saúde da UNRWA, Dr. Taysser Sabbagh, atua como médico nas clínicas de saúde da UNRWA em Damasco, na Síria. Ele contou sobre os desafios e dificuldades de continuar provendo atendimento aos refugiados da Palestina em meio a um contexto de violência e de novas vulnerabilidades, como ferimentos de guerra e estresse pós – traumático. O médico, que também é um refugiado da Palestina, disse ainda que os recursos obtidos com a campanha serão usados para comprar os computadores que armazenarão dados dos pacientes atendidos, permitindo que o prontuário possa ser acessado de qualquer centro de saúde. Isso facilita e agiliza o atendimento aos pacientes, além de permitir que a UNRWA tenha um retrato da situação de saúde da população de refugiados da Palestina e obtenha estatísticas que facilitarão a compreensão das necessidades dos pacientes.

“Tratamos doenças como câncer, diabetes, hipertensão, doenças pulmonares. Estamos começando a tratar doenças mentais provenientes da guerra e também vamos dar atendimento odontológico. São tratamento de longo prazo, por isso é importante ter como acompanhar o paciente”, explicou o Dr. Sabbagh.

Os objetivos da UNRWA incluem ainda a aplicação de vacinas contra doenças que haviam sido quase erradicadas, mas voltaram devido à guerra na Síria e os conflitos em Gaza.

A Câmara de Comércio informou ainda que esta foi a primeira campanha com a UNRWA e que certamente outras serão organizadas muito em breve.

Apesar do fim desta campanha em particular, A UNRWA, que atualmente enfrenta uma situação de déficit orçamentário,continua recebendo doações por meio do seu site no Brasil que podem ser feitas através de cartão de crédito.

Assista Vídeo sobre a Campanha

Cerca de três milhões de pessoas utilizam nossos serviços de saúde, em 135 centros de saúde na região do Oriente Médio. São cinco mil médicos e enfermeiras que trabalham nas clínicas da UNRWA. Atualmente mais de cinco milhões de refugiados da Palestina vivem em diferentes regiões do Oriente Médio, como Faixa de Gaza, Síria, Jordânia, Cisjordânia e Líbano.

A UNRWA precisa de 1,2 bilhão de dólares anuais para manutenção de seu atendimento, metade dos quais são utilizados para serviços básicos, como saúde e educação. O restante é destinado a operações emergenciais, como a eclosão de conflitos. Somente a guerra na Síria demanda recursos da ordem de 300 milhões de dólares da UNRWA para atender os refugiados da Palestina que foram atingidos pelo conflito sírio.