Cisjordânia

west-bank-large[1]Quase 875 mil palestinos estão registrados na UNRWA na Cisjordânia. Os refugiados da Palestina enfrentam violações diárias de seus direitos por conta do contínuo confisco e apropriação de suas terras, violência de colonos, demolições de casas e destruição dos meios de sustento das famílias, deslocamento forçado e amplas e sistemáticas restrições à sua liberdade de ir e vir.

Deslocamento

Deslocamentos têm consequências devastadoras em famílias inteiras, transtornam comunidades e aumentam a pobreza e a instabilidade. Enquanto escolas e cisternas de água forem alvos, acesso a serviços básicos estão ameaçados.

No último ano, os deslocamentos na Cisjordânia aumentaram drasticamente como resultado da demolição de casas e violência praticada por colonos. Demolições de residências ocorreram com mais frequência na Área C, controlada por Israel, que compreende 60 % da Cisjordânia. Comunidades pastoris e de beduínos foram particularmente afetadas e milhares de pessoas vivendo na Área C e em Jerusalém Oriental Ocupada receberam notificações que deveriam deixar suas casas.

A UNRWA lançou a campanha “Não destrua meu futuro” (Don’t Demolish My Future), um esforço de mobilização da comunidade global para cessar as devastadoras demolições de casas, escolas e outras propriedades na Cisjordânia. Organizamos visitas de grupos internacionais e fizemos parcerias entre escolas que estavam sob ameaça e escolas em outros países. Através das mídias sociais, conseguimos ampliar o alcance desta campanha.