Jordânia

jordan-large[1]A Jordânia recebe mais de dois milhões de refugiados da Palestina. A maioria tem a cidadania do país e segue uma vida relativamente normal. No entanto, cerca de 132.000 mil refugiados da Palestina registrados, que saíram de Gaza em 1967, não têm cidadania.

Esses indivíduos sofrem restrições legais que limitam seu acesso à educação superior, assistência médica e oportunidades de trabalho. A situação econômico-social desse grupo é visivelmente mais difícil, se comparada com a de outros refugiados da Palestina na Jordânia.

Educação

Nosso maior programa na Jordânia é o de educação, com quase 120.000 estudantes matriculados em 172 escolas primárias e outros 3.000 jovens em nossas escolas vocacionais. Em 2011, a performance das escolas da UNRWA foi superior à das escolas públicas e particulares do país em três de quatro matérias nos exames nacionais da décima série. Os formados em nossas escolas vocacionais continuam a ter as melhores notas nos exames nacionais e mais de 80% deles conseguem emprego.

Assistência à saúde

O programa de saúde da UNRWA na Jordânia segue crescendo. Nossos centros de assistência primária fazem mais de dois milhões de consultas por ano. Com a reforma iniciada no programa de saúde, em 2015 estaremos atendendo com a abordagem de saúde familiar. Dois componentes dessa reforma, marcação de consultas e armazenagem eletrônica de dados (e-health) já foram implantados com sucesso em cinco centros de saúde, beneficiando a cerca de 250.000 pacientes por ano. Com a reforma, o serviço se torna mais eficiente e os pacientes esperam menos tempo.

Serviços sociais

Também nos esforçamos para que os refugiados da Palestina possam cobrir suas necessidades financeiras. Mais de 56.000 famílias recebem assistência alimentar e em dinheiro através de nossos programas da rede de proteção social. Em 2011, nossos empréstimos de microfinanças tiveram como alvo jovens e mulheres: cerca de 40% dos clientes eram jovens e mulheres constituíram mais de 1/3 do número total de clientes.