Líbano

lebanon-large[1]Cerca de 450.000 indivíduos estão registrados com a UNRWA no Líbano e desses, cerca de 50% vivem nos 12 campos de refugiados que há no país. Eles representam aproximadamente 10% da população libanesa. Não têm muitos direitos importantes; por exemplo, não podem trabalhar em 20 atividades profissionais.

Os altos níveis de pobreza entre refugiados da Palestina no Líbano são uma grande preocupação; mais de 2/3 da população vivem com menos de seis dólares por dia, e em 2011, 56% dos refugiados no Líbano não tinham emprego. A consequência é que a maioria dos refugiados depende da UNRWA como provedor de educação, saúde e serviços sociais.

Assistência à saúde

Alguns dos refugiados em situação mais vulnerável são aqueles com doenças crônicas. Em resposta a essa situação, lançamos um novo programa, “Cuidando” (Care), para atender às necessidades específicas dos refugiados com doenças crônicas.

Serviços sociais

Para ajudar na empregabilidade dos refugiados da Palestina no Líbano, criamos e estamos implementando uma estratégia multianual com foco em três prioridades:

  1. Melhorar a oferta de proficiência vocacional para aqueles com menos qualificação.
  2. Expandir os serviços de encaminhamento e identificação de empregos para o mercado de trabalho libanês.
  3. Advogar em favor de políticas que possibilitem melhores condições para que refugiados da Palestina obtenham empregos legalmente.

Cuidando dos mais vulneráveis

Para atender às necessidades dos refugiados da Palestina mais vulneráveis no Líbano, lançamos o “Recuperando a Dignidade” (Restoring Dignity), um programa que será implementado até 2016. A UNRWA solicitou à comunidade internacional recursos que possibilitem a realização de projetos nas áreas de educação, saúde, infraestrutura, emprego e assistência.